domingo, 8 de abril de 2012

O que você acha de escrever um livro?


 
A maior parte das pessoas é capaz de disseminar ideias verbalmente com facilidade  e muita riqueza de detalhes. Em alguns casos, se a exposição do pensamento não for interrompida e um gravador estiver próximo, é possível escrever um livro.

Por que, então, há tanta dificuldade para escrever? E não apenas um livro, mas uma carta, uma mensagem, um relatório. Talvez o primeiro e maior empecilho seja o medo de se expor, pois as palavras ditas são levadas pelo vento, enquanto a palavra escrita ganha status de prova – contra você.

A simples solicitação de um relatório é motivo para empurrar a demanda ao colega mais próximo, que acaba assumindo a tarefa. E aí vem a parte ingrata. Imediatamente após o trabalho concluído começam as críticas, normalmente – e felizmente - apenas verbais, mas por vezes em tom desrespeitoso com aquele que aceitou a missão que ninguém queria.

De acordo o estudo de pesquisa do IBGE, realizado por entidades do livro em 2002 e 2003, apenas 7,47% da população adquiriu livros não didáticos, compra que representou 0,005% da renda familiar. Em outro estudo, de 2011, apurou-se que apenas metade da população brasileira pode ser considerada leitora. Finalmente, o resultado: o brasileiro lê apenas quatro livros por ano.

A pouca leitura dificulta a boa escrita. Ler mais, eliminar o medo de se expor, escolher um tema que agrade, pesquisar o que outras pessoas já escreveram acerca deste tema e colocar as ideias no papel é o caminho para aprimorar o conhecimento. Num futuro próximo, sem muita pretensão, você poderá estar lançando um livro e deixando uma pequena marca para as próximas gerações.

Publiquei em março o livro “Honorários Contábeis”, que trouxe muita felicidade para mim, pois aprendi muito com a experiência e realizei mais um sonho.

Experimente.

Gilmar Duarte (08/04/2012)

Saiba mais sobre a pesquisa citada em www.prolivro.org.br

3 comentários:

  1. o Brasileiro precisa se concientizar sobre a necessidade de ler, para no futuro ensinar seus filhos a criar o hábito.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo blog! Incentivando cada vez mais profissionais da área contábil e outros a ter uma visão mais ampla.

    ResponderExcluir
  3. Caroline Luise Fleith de Assis25 de abril de 2012 18:21

    Efetivamente quem não lê, não se comunica e pior, se complica no mais integro significado!!

    Quem não lê não sabe exercitar a essência da eficácia do saber como um todo, seja no viés do saber ouvir e saber falar, comprometendo com isso, a visão de mundo do indivíduo como todo!

    É triste a estatística que remete ao dado que um acadêmico sai da sua graduação mais limitado do que entrou. Diagnóstico ocasionado pela leitura restrita na sua área de formação. Lastimável! É neste cenário e contexto que podemos considerar este momento como sendo um dos momentos mais oportunos para explorar-se a leitura.

    A sábia academia viva da leitura proporciona o germinar de idéias, pensamentos e dados que avançam fronteiras proporcionando com isso uma vasta amplitude de conhecimentos! Conhecimento o qual gera-se ainda mais conhecimento, de maneira singular e viciante!

    É fato! Ler torna-se um hábito! Basta insistir e querer!

    Ler é um exercício que requer, sobretudo um censo crítico, analítico e milionário nas interpretações e compreensões!!

    Leia!
    Leia tudo! Seja leitura formal, informal, científica ou não! Leia nas entrelinhas! Leia e explore o seu máximo e o máximo que a informação possa lhe proporcionar! Será inclusive no ato da leitura que a sua imaginação não lhe permitirá mais ser o mesmo! Logo, lendo você sem dúvida alguma, de alguma maneira ou de outra, você evoluirá!

    A propósito, boas leituras!!!!

    ResponderExcluir